sábado, 22 de abril de 2017

O Brasil sob a ditadura Globo-Lava Jato

Por Jeferson Miola

É difícil aceitar a dolorosa realidade, mas o Brasil está, efetivamente, sob um regime ditatorial. O golpe de 2016 e o regime de exceção evoluíram para a ditadura jurídico-midiática da Rede Globo com a Lava Jato e setores da PF, judiciário e STF. Assim como na ditadura instalada com o golpe de 1964, a engrenagem desta ditadura também contou com a participação decisiva da Rede Globo.

O editorial do jornal O Globo deste 22 de abril, por ironia o dia que marca 517 anos da descoberta do Brasil pelos dominadores portugueses, revela a simbiose estratégica entre a Globo e a força-tarefa da Lava Jato. Ambos, a serviço de interesses estrangeiros, adotam idêntica linguagem, empregam os mesmos métodos, e partilham do mesmo ódio fascista aos seus inimigos.

Lava-Jato recebe a encomenda preciosa

Por Tereza Cruvinel, em seu blog:

Lavagem de dinheiro e obstrução da Justiça são crimes considerados de “natureza continuada”. Por isso justificam a prisão preventiva de suposto autor, para que ele deixe de cometê-los. Ao dizer em seu depoimento ao juiz Sergio Moro que o ex-presidente Lula o orientou a destruir provas do pagamento de propinas ao PT, o ex-executivo da OAS Léo Pinheiro parece ter entregado à Lava Jato uma encomenda destinada a justificar eventual prisão de Lula. Mas como tal prisão seria um ato insensato de Moro nesta altura dos acontecimentos, a afirmação de Pinheiro continua sendo uma encomenda, mas com outro objetivo: demonstrar aos procuradores, com os quais negocia uma delação premiada, que abdicou de qualquer lealdade ao antigo amigo e tem munição para detoná-lo, acelerando a condenação e a inelegibilidade.

Odebrecht-Globo: quanto a Globo levou?

Por Paulo Henrique Amorim, no blog Conversa Afiada:

Vai pra cima dela, Meirelles... Vai!

A história da sociedade da Globo com a Odebrecht para obter decisões no governo FHC deve ter tráfico de influência.

Será que somente naquela sociedade a Odebrecht teria atuado dentro da legalidade?

"Legalidade" para influenciar decisões...

Decisões importantíssimas - quanto o Emílio estaria disposto a pagar por elas?

Prova contra Lula é não haver prova

Por Eduardo Guimarães, no Blog da Cidadania:

A cada nova acusação da Lava Jato contra Lula, mais o caso dele se assemelha a O Processo (no original, em alemão, Der Prozess), romance do escritor tcheco Franz Kafka que conta a história de Josef K., que, certa manhã, descobre-se processado e passa a ser submetido a um longo e incompreensível processo por um crime não especificado.

No caso de Lula, porém, o Processo é ainda mais bizarro, surreal. Divulgam recompensas que ele teria recebido por crimes não especificados. Não por acaso, muitos dizem que está sendo condenado por ter recebido um apartamento “tríplex” e um “sítio” como propina.

A insanidade do mafioso Léo Pinheiro

Por Bajonas Teixeira, no blog Cafezinho:

A acusação de Léo Pinheiro é tão imbecil, tão incrivelmente idiota que, em resumo, diz que Lula mandou destruir as provas, mas deu também ordens para não vender o triplex. Isso equivaleria a um chefe de quadrilha que ordenasse ao seu bando: “escondam o dinheiro do assalto mas deixem os corpos dos guardas assassinados bem visíveis na minha sala de estar”. Em nenhum planeta desse vasto universo, isso seria crível: deixar-se de eliminar a prova, a única prova, que é uma prova tripla, justamente o triplex do Guarujá. Que outra prova poderia haver? Nenhuma. Mas justamente essa robusta, tripla, materialíssima prova, não teria sido eliminada, isto é, vendida a outro pela OAS.

Os sorrisos indecororos de Sergio Moro

Por Paulo Nogueira, no blog Diário do Centro do Mundo:

Sorrir é um ato de sabedoria, dizem todas as correntes filosóficas.

É uma atitude de força perante as adversidades, e também uma mensagem de solidariedade e amizade aos demais.

Mas há exceções.

Os sorrisos de Sérgio Moro a pessoas especiais para ele, como Aécio e Temer, são simplesmente indecorosos.

O 'timing de Moro' para prender Lula

Por Fernando Brito, no blog Tijolaço:

Iluda-se quem quiser.

A operação “Mata Lula”, que é o sobrenome mais adequado à Lava Jato, tem – ao contrário de seus agentes secundários, como o delegado Maurício Moscardi Grillo, que, em entrevista à revista “Veja”, disse que a PF havia “perdido o timing” para prender o ex-presidente – a preparação certa do tempo para seu lance mais ousado.

Desde que passou o primeiro impacto da geleia geral que se formou com a lista de inquéritos determinados por Luiz Edson Fachin, todo o foco voltou-se para Lula e Dilma, com os videos dos depoimentos. Retomou-se a delação premiada da OAS, bloqueada ano passado, quando não fornecia o 'filé do Guarujá' ansiado pelos rapazes de Curitiba, agora com o script desejado.

Hora de botar os inimigos do povo pra correr

Por Bepe Damasco, em seu blog:                                                                                      

É difícil parar de pensar no conteúdo da fala do professor da Unicamp, Márcio Pochmann, ex-presidente do Ipea, durante um seminário recente no Rio de Janeiro. Para Pochmann, a democracia no Brasil não será restaurada apenas pela via institucional e o cenário mais provável para 2018 é a não realização das eleições devido a mais uma ação antidemocrática dos golpistas.

Intelectual respeitado, Pochmann, que está longe de ser considerado um incendiário, põe o dedo na ferida e indaga :"Que prejuízo nós vamos dar a eles ?" Na sua pregação está subjacente a defesa de formas mais radicais de luta, pois somente de passeata em passeata são praticamente nulas as chances dos democratas e da esquerda virarem o jogo. Não existe fórmula mágica para, de uma hora para outra, fazer a luta mudar de patamar. Mas esse debate é urgente.

O assalto ao poder e os Macunaímas do STF

Por Luis Nassif, no Jornal GGN:

Segundo o site “Congresso em Foco”, o Ministro da Justiça Osmar Serraglio decidiu demitir o presidente da Funai (Fundação Nacional do Índio), Antônio Fernandes Toninho da Costa, por não ter atendido às demandas do líder do governo no Congresso, deputado André Moura (PSC-CE), nomeando 25 pessoas indicadas por ele (https://goo.gl/KgAZ44) para o órgão.

Segundo a reportagem, a decisão de Serraglio teve aval do presidente da República Michel Temer. Provavelmente visa trocar as indicações por votos para o desmonte da Previdência Social.

O abate dos direitos dos trabalhadores

Por Hugo Cavalcanti Melo Filho, no site Carta Maior:

O governo ilegítimo de Michel Temer enviou ao Congresso golpista projeto de lei que tomou o número 6787/16. O conteúdo da proposta, embora não tenha surpreendido os que conheciam os propósitos do Golpe de 2016, indignou a todos que têm o mínimo compromisso com o Estado Social de Direito inaugurado pela Constituição de 1988 e, atualmente, em fase de aniquilação.

Nem a ditadura militar, nem mesmo FHC, no auge de sua sanha flexibilizadora, nos anos 1990, ousara propor alterações tão nefastas para o trabalhador brasileiro: ampliação das possibilidades de contratação a tempo parcial, prevalência do negociado sobre o legislado - mesmo quando estabelecidas condições menos favoráveis ao trabalhador do que aquelas previstas na lei -, em temas como jornada de trabalho (até 12 horas diárias) e duração mensal do trabalho (até 220 horas), redução de intervalo intrajornada (para até 30 minutos), fim da remuneração do tempo de percurso, banco de horas, entre outros relevantes aspectos.

Carta a Merval Pereira, o leviano

Por Cristiano Zanin Martins, no site A verdade de Lula:

São Paulo, 21 de abril de 2017

Ao
Merval Pereira
Colunista de O Globo
Membro do Conselho Editorial da Globo

Senhor jornalista,

Verdadeiro “segredo de polichinelo”, título de sua coluna de hoje (edição 21/04/2017), é a participação ampla, direta e ilegítima das Organizações Globo na perseguição judicial imposta ao ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o intuito de prejudicar ou inviabilizar sua atuação política. A aliança entre a Globo e os agentes públicos que integram a Lava Jato – hoje alçados à condição de artistas de um filme estarrecedor, que viola os mais elementares direitos fundamentais do investigado – já foi mais discreta. Hoje, a Globo dita as acusações contra Lula e disponibiliza os seus veículos de comunicação para colocá-las em pé.

Reforma da Previdência é machista

Por Katia Guimarães, no blog Socialista Morena:

Não bastasse atingir em cheio os mais pobres, a reforma da Previdência de Temer, como quase tudo que veio do governo dele até agora, é uma proposta machista, que aprofundará ainda mais o fosso entre homens e mulheres no mercado de trabalho. A reforma desconhece por completo a realidade da mulher brasileira, que sofre preconceito de gênero, ganha salários menores que os dos homens, trabalha mais horas do que eles e ainda tem de cumprir dupla ou tripla jornada.

Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do IBGE, reunidos em um estudo realizado pelo Ipea desde 2004 em parceria com a ONU Mulheres, divulgado no mês passado, comprovam o cenário de desigualdade. As mulheres trabalham, em média, 7,5 horas a mais que os homens por semana. Em 2015, a jornada total média das mulheres era de 53,6 horas, enquanto a dos homens era de 46,1 horas. Em relação às atividades não remuneradas, mais de 90% das mulheres declararam realizar atividades domésticas –proporção que se manteve quase inalterada ao longo de 20 anos, assim como a dos homens (em torno de 50%).

EUA fazem do petróleo sua reserva de caça

Loik Le Floch-Prigent
Por Paulo Moreira Leite, em seu blog:

Aliado fidelíssimo de François Miterrand, presidente da França entre 1981 e 1995, Loik Le Floch-Prigent foi diretor-presidente de outras três estatais francesas, além da Elf. Aos 38 anos, foi o mais jovem PDG da Rhône-Poulanc, grupo industrial com marcas conhecidas, como a Rhodia. Sua entrevista:

Numa das suas entrevistas que formam o livro Affaire Elf, Affair dÉtat, o presidente François Mitterrand, responsável por sua nomeação como presidente da Elf, aparece como um chefe de Estado silencioso diante de esquemas de corrupção que estavam presentes na empresa muito antes que ele tivesse chegado ao Eliseu. Sabe tudo, inclusive quem paga comissões, quem recebe, por ordem de quem, mas nunca diz nada de forma explícita. Qual foi o papel de Mitterrand neste caso?

Como o general de Gaulle, ele possuía uma grande ideia da França e compreendia a importância da independência do petróleo e do gás, coisa que seus sucessores ignoraram. Acima de tudo, respeito essa memória.

O impeachment que piorou o Brasil

Por Pedro Rafael Vilela, no jornal Brasil de Fato:

Esta semana, o país relembra um ano da votação que deu início ao processo de impeachment de Dilma Rousseff. No dia 17 de abril de 2016, um domingo, uma sessão extraordinária da Câmara dos Deputados, que durou quase 10 horas, parou o Brasil neste que já é considerado o acontecimento mais trágico da história recente do país. O Observatório Político da América Latina e do Caribe (OPALC), ligado ao Instituto de Estudos Políticos de Paris (Sciences Po), em seu relatório anual publicado em janeiro, classificou o afastamento de Dilma como “uma grave deterioração da democracia brasileira”.

Unidade para resistir ao golpe

Editorial do site Vermelho:

O esforço pela unidade das forças democráticas, progressistas e populares para encontrar a saída para a grave crise que o Brasil vive, agravada pelo golpe de 2016, deu um passo importante nesta quinta-feira (20), no encontro que reuniu lideranças do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), Consulta Popular, Via Campesina, Fundação Maurício Grabois e PCdoB.

O objetivo foi debater pontos de convergência na resistência contra o governo golpista e ilegítimo e a resistência contra as ameaças aos direitos sociais e dos trabalhadores.

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Bancários se mobilizam para a greve geral

Do site da Federação dos Bancários do Centro-Norte (Fetec-CN):

Está cada vez mais claro para a população, até mesmo para setores que apoiaram o impeachment da presidenta Dilma Rousseff, que a verdadeira razão do golpe foi a implementação da agenda do capital e dos neoliberais, visando acabar com os programas sociais, retirar direitos dos trabalhadores e entregar os recursos nacionais às empresas multinacionais. Por isso é importante que tenhamos a capacidade de buscar o apoio desses segmentos, estreitar a unidade dos movimentos sindical e sociais e ampliar a mobilização para o confronto com o governo ilegítimo de Michel Temer e suas reformas. O que necessariamente passa por uma grande greve geral no dia 28 de abril.

Doria está pronto para ser o Collor da vez

Por Renato Rovai, em seu blog:

Está ficando cada vez mais evidente que o Partido Novo será a nova legenda dos liberais. Ou se preferirem, de boa parte daqueles que se organizavam em partidos como o PSDB, PMDB, DEM e quetais, que estão sendo destruídos pela Lava Jato.

A última notícia a corroborar essa tese é a filiação de Bernardinho, técnico da seleção brasileira de vôlei, a este partido.

Mas há uma outra notícia que ganhou pouco destaque é a ainda mais contundente de quem pode vir a capitanear o Novo.

Ao demitir Soninha Francine da Secretaria de Assistência Social, Doria entregou a pasta para Filipe Sabará, que era o Secretário-Adjunto.

Governo Temer, a contradição em processo

Por Marcio Pochmann, na Revista do Brasil:

Uma contradição fundamental se processa no golpismo que sustenta o governo Temer desde a sua imposição no ano passado. Quanto mais forte o seu governo maior a exposição de sua fraqueza.

Isso porque a sua fortaleza provem justamente dos responsáveis por sua própria criação. De um lado, a extensa e integrada base parlamentar no poder legislativo federal, que oferta apoio jamais observado ao longo do ciclo político da Nova República, iniciado em 1985.

O centro deste apoio não parece ser ideológico, programático ou grandioso em nome do Brasil melhor. Pelo contrário, pois fundamentado na individual e rasteira lógica da sobrevivência cada vez mais ameaçada pela contaminação proveniente do mar de lama da corrupção.

78% dos brasileiros desejam cassação de Temer

Por Rodrigo Martins, na revista CartaCapital:

A popularidade de Michel Temer não para de despencar. Apenas 5% da população considera o desempenho do presidente ótimo ou bom, ante 14% em outubro do ano passado, revelou uma pesquisa do instituto Vox Populi, encomendada pela Central Única dos Trabalhadores e divulgada em primeira mão por CartaCapital na semana passada.

Na edição que chega às bancas de todo o País nesta sexta-feira 21, a revista apresenta com exclusividade outra dimensão da sondagem: para 78% dos entrevistados, o Tribunal Superior Eleitoral deveria cassar o mandato de Temer pelas supostas irregularidades cometidas pela chapa Dilma-Temer em 2014. Não é tudo: nove em cada dez brasileiros desejam que o novo presidente seja escolhido por eleições diretas, e não pelo Parlamento, como previsto pela Constituição.

Léo Pinheiro mente para ter delação aceita

Do site do Lula:

Leia abaixo a nota da Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva a respeito do depoimento do empresário Léo Pinheiro, concedido nesta quinta-feira (20) na 13ª Vara Federal de Curitiba.

"Léo Pinheiro no lugar de se defender em seu interrogatório, hoje, na 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba, contou uma versão acordada com o MPF como pressuposto para aceitação de uma delação premiada que poderá tirá-lo da prisão. Ele foi claramente incumbido de criar uma narrativa que sustentasse ser Lula o proprietário do chamado triplex do Guarujá. É a palavra dele contra o depoimento de 73 testemunhas, inclusive funcionários da OAS, negando ser Lula o dono do imóvel.